text-align: center;

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

QUASE-RETROSPECTIVA: O MELHOR E O PIOR DE 2014

E ae pessoal! Finalmente acabou essa praga de 2014, um dos anos mais chatos da história, então vou apresentar aqui para vocês uma listinha dos melhores e piores livros e filmes que ocuparam algumas horas (ou minutos) dos meus dias neste ano :)


Vai ser meio que uma curta retrospetiva, mas apenas com tópicos. E acho que vale à pena também lembrar da chibata que o Brasil tomou da Alemanha. Vai de brinde no final do post hehe :)
Vamos lá pra última publicação de 2014!

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

AQUISIÇÕES DE DEZEMBRO/2014

Acabou Dezembro, acabou o ano, acabou a meta de leitura... Mas este último mês até que foi produtivo e trouxe novas aquisições para minha instante, aquisições estas que eu estava há muito tempo desejando e agradeço muito a oportunidade que tive de ganhá-las durante Dezembro. Sem contar que neste último mês do ano, aqui em Fortaleza, foi realizada a Bienal Internacional do livro, então... Lá se foi o salário! ;~~
Mas salário é assim, um grande ciclo de vai e vem, então não me arrependo do que gastei. Pelo contrário! Como leitor obcecado e como saio pouco de casa, tudo dá certo para que eu tenha direito à muitas leituras nas férias.

 Enfim, pra quem tiver curiosidade ou quiser saber um pouco mais de cada livro que adquiri e/ou ganhei nesse mês, vou colocar a lista logo abaixo. Qualquer dúvida, só mandar nos comentários, que indico locais e edições de compra.
Logo avisando que fiquei muito satisfeito com as novidades em minha estante e que pretendo, ao menos, ler metade deles até final de Janeiro, já que estou ainda com algumas leituras pendentes e no aguardo do box de Crônicas de Gelo e Fogo, que deve estar chegando na últimas semana de Janeiro. Vamos lá!

[MINHA RESENHA] Coraline - Neil Gaiman

Coraline
Gaiman, Neil
Editora Rocco, 2003



Coraline é uma obra do gênero fantasia, classificada controversamente (opinião pessoal) como uma obra literária voltada para o publico infanto-juvenil e fazendo parte do selo Jovens Leitores, da Editora Rocco. Lançada, primeiramente, em 2002, pelo gênio da literatura fantástica e um dos maiores nomes da literatura internacional atual, Neil Gaiman (Sandman), chegou às terras brasileiras apenas um ano depois e logo tornou-se destaque nas maiores livrarias do país. 
Coraline, com o tempo, logo tornou-se referência mundial para os autores que decidiram seguir a mesma linha e ficou conhecida por ser uma história sucessora de Alice no País das Maravilhas, um clássico mundial.
O livro trata de uma sombria aventura vivida pela jovem Coraline, após ter descoberto uma misteriosa porta em seu quarto que a levava a uma realidade paralela e cheio de perigos que deveriam ser, no mínimo, assustadores. Com o sucesso que a obra adquiriu entre quase todos os públicos (sucesso semelhante ao Pequeno Príncipe, que viveu uma situação parecida, após também ser classificado como temática infanto-juvenil), o filme homônimo foi lançado, em 2009, pela grandíssima Focus Features. Deste modo, a popularidade da história de Coraline se expandiu em termos inimagináveis, rendendo uma aventura inesquecível para grande parte dos leitores e/ou telespectadores.

[DIA DE FILME] Livrai-nos do Mal

Livrai-nos do Mal (2014)



Gênero: Terror/Ação
Data de lançamento: 2 de Julho de 2014 (Canadá)
Tempo: 118 minutos
Direção: Scott Derrickson
Escrito por: Scott Derrickson, Paul Harris Boardman
Estrelado por: Eric Bana, Édgar Ramirez, Olivia Munn






Livrai-nos do Mal (Deliver Us From Evil) é um filme classificado como terror/suspense, mas com uma forte tendência ao suspense investigativo e ao gênero policial. Começo os elogios logo deste primeiro bloco da resenha, pois achei genial a ideia de pegarem um filme de exorcismo e não apelarem, de jeito nenhum, pros sustos básicos do terror contemporâneo, que não assustam mais nem um porquinho-da-índia. Quando digo "não apelarem", uso essa expressão no sentido de não ser o filme inteiro daquela chatice de ficar esperando os sustos, o que nos faz, muitas vezes, esquecer da história e focar apenas nas horas das cabeças rolando, dos olhos sendo arrancados, ou de algum corpo encapetado se contorcendo. Parabéns a Livrai-nos do Mal, que conseguiu encaixar uma excelente trama investigativa em um filme de exorcismo, já que os filmes de possessões demoníacas estão cada vez piores. 
O longa, como dito lá em cima, foi escrito por Scott Derrickson (A Entidade) e dirigido pelo mesmo, além de ser produzido por um dos mitos hollywoodianos, Jerry Bruckheimer (Pearl Harbor, Top Gun), então só poderia vir coisa boa. Fora isso, traz em seu elenco, como protagonista, o responsável pelo Hulk chorão, Eric Bana (Hulk), que tem uma atuação magnífica, juntamente com o cara que faz o padre, Edgar Ramirez (Fúria de Titãs 2) que, para mim, mereceu destaque especial. O filme fez uma campanha de marketing dizendo que é baseado em fatos reais, mas depois que descobri que o Massacre da Serra Elétrica nunca existiu, não acredito mais nisso.

domingo, 30 de novembro de 2014

*Desafio literário* [MINHA RESENHA] O Estrangeiro - Albert Camus

O Estrangeiro, de acordo com o tema proposto por esse último tema do Desafio Literário (um livro que já li), foi uma das obras que mais me marcou e que mais me influenciou durante os últimos anos, principalmente no que diz respeito à minha personalidade. Juntamente a Holden Caulfield, que considero o personagem com o qual mais me identifiquei em toda a minha vida, Meursault quase que consegue ser tão interessante quanto o personagem de Salinger, talvez a única diferença tenha sido a localização temporal e, obviamente, a diferença etária entre os personagens.
Pensei em reler vários outros que ainda não foram resenhados (inclusive o próprio Apanhador no Campo de Centeio), mas decidi ficar com O Estrangeiro e trazer um pouco mais dessa clássica e tão influente obra e da personalidade de Meursault, que é o foco principal do enredo.


O Estrangeiro
Camus, Albert
Editora Record, 2010



O Estrangeiro é um clássico da literatura internacional, escrito pelo francês Albert Camus e vencedor do Prêmio Nobel de Literatura. A obra foi classificada como um dos 100 maiores livros de todos os tempos, o que já é meio óbvio por conta da premiação no Nobel, e logo seria classificada, também, como um dos livros mais influentes de todos os tempos, se postando ao lado de Saramago, Salinger, Kerouac e grandes nomes da literatura do século XX.
O Estrangeiro faz parte de uma coletânea conhecida como Ciclo do Absurdo. Uma trilogia composta pelo próprio, por O Mito de Sísifo (ensaio) e por Calígula (teatro). Apenas pelos nomes destas duas últimas citadas podemos perceber porque a trilogia é nomeada de Absurdo, característica recorrente nos temas das obras do escritor francês.
Foi publicada em meados de 1942 e, apenas 4 anos depois, em 1946, foi lançada aqui nas terras brasileiras, pela editora Vintage Books. O livro já recebeu inúmeras edições durante as décadas e sua última consta de 2010, publicada pela renomada Editora Record.

sábado, 29 de novembro de 2014

[DIA DE FILME] A Esperança - Parte I

A Esperança - Parte 1 (2014)



Gênero: Aventura/Drama
Data de lançamento: 10 de Novembro de 2014 (Inglaterra)
Tempo: 123 minutos
Direção: Francis Lawrence
Escrito por: Peter Craig, Danny Strong
Estrelado por: Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth





A Esperança é o terceiro filme da saga de Katniss Everdeen contra o "absolutismo" da Capital de Panem, que se deu início em Jogos Vorazes. O longa é adaptado do também terceiro livro da saga homônima, escrita por Suzanne Collins e que logo se tornaria um dos maiores sucessos literários contemporâneos entre os jovens leitores. Jogos Vorazes já é uma das sagas distópicas mais lidas e comentadas da última década e, cada vez mais, conquista um público maior e, até mesmo, mais maduro.
Por conta de sua história diferente, de seu ideal inovador e de seu caráter moral e social, a obra já é referência e fonte de inspiração para várias outras sagas e volumes únicos que são escritos pelo planeta e é uma forte agregadora de ideias e de atrativos. Jogos Vorazes, apesar de ser extremamente semelhante ao conteúdo inserido na obra Battle Royale, não perde em nada sua essência original e já alcançou números incríveis de vendas, sendo posto como um dos livros mais vendidos da história.
A ansiedade dos fãs e sua expectativa para A Esperança, logicamente, só poderiam estar em alta, tanto por conta do sucesso que a série de livros vem fazendo e conquistando, quanto por conta de seu filme antecessor, Em Chamas, que agradou grande parte do público e que deveria ter, em seu próximo filme, suas lacunas preenchidas e boa parte dos mistérios resolvidos, principalmente para quem não chegou a ler nada sobre.
Posso afirmar, por grande parte dos que já assistiram, que A Esperança não desaponta e chega a ser muito melhor que o segundo filme, então realmente é bom. Acredito que agrade até mesmo aos que não conhecem ou não gostam do gênero, pois chega a ser bem completo, equilibrando quase perfeitamente os momentos de ação, tensão e de drama. Sem diálogos chatos ou desnecessários, é feito na medida e, apesar de não ser um filme maravilhoso que nos deixe de boca aberta, é um que vale à pena ser visto no cinema.

domingo, 23 de novembro de 2014

[MINHA RESENHA] Para Onde Ela Foi - Gayle Forman

Para Onde Ela Foi
Forman, Gayle
Editora Novo Conceito, 2014



Para Onde Ela Foi é a tão aguardada (ou não) continuação de uma das obras mais comentadas deste segundo semestre de 2014, Se Eu Ficar, principalmente depois de ter sofrido uma fiel adaptação cinematográfica. Os dois livros foram lançados em 2014 pela editora Novo Conceito aqui no Brasil e escritos por Gayle Forman. Se Eu Ficar tornou-se um livro modinha, como alguns chamariam, e teve uma boa repercussão principalmente no que diz respeito a receptividade dos fãs mais jovens, por se tratar, como MUITAS outras obras do gênero e da atualidade, de um romance piegas entre adolescentes. 
Porém, diferentemente de uma coisa chata e enjoativa que vemos em metade dessas historinhas, a autora soube mesclar o drama da morte de Mia Hall com seu romance, desconcentrando o amor do foco do livro.
Infelizmente, em Para Onde Ela Foi, o autor destrói quase tudo de bom que soube escrever em Se Eu Ficar e, sob minha visão, tornou-se um dos livros mais dramáticos, chorosos e clichês que já pude ler.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

[DIA DE FILME] O Maravilhoso Agora

O Maravilhoso Agora (2013)



Gênero: Drama
Data de lançamento: 18 de Janeiro de 2013
Tempo: 95 minutos
Direção: James Ponsoldt
Escrito por: Scott Neustadter, Michael H.Weber
Estrelado por: Miles Teller, Shailene Woodley, Kyle Chandler





O Maravilhoso Agora (realmente faz jus ao nome de "Maravilhoso") é um filme norte-americano dirigido por James Ponsoldt (Smashed) e baseado na obra homônima escrita por Tim Tharp. O filme traz dois grandes nomes do cinema, responsáveis por escrever o roteiro de um dos filmes românticos mais comentados e bem criticados das últimas décadas, 500 Dias Com Ela, o roteirista Scott Neustadter e seu parceiro, Michael Weber.
O filme tem uma excelente nota de 7,2 no IMDB e foi bem recebido pela crítica internacional após sua première no festival de Sundance, em 2013. O Maravilhoso Agora é um drama sem apelos românticos e com uma linda história, além das atuações incomparáveis de Miles Teller (Projeto X, Divergente) e de Shailene Woodley (Culpa É Das Estrelas, Divergente), que são um espetáculo à parte do filme.

[MINHA RESENHA] Espíritos de Gelo - Raphael Draccon

Espíritos de Gelo
Draccon, Raphael
Editora Leya, 2013



Espíritos de Gelo é um livro adulto que se assemelha com um thriller, escrito pelo brasileiro Raphael Draccon, um dos maiores escritores nacionais de títulos jovens e fantásticos da atualidade. A obra foi publicada, incialmente, em Portugal, pela GaiLivros, em 2011, e chegou ao Brasil publicado e distribuído pela editora Leya, no mesmo ano, em uma primeira edição.
Em Espíritos de Gelo, Raphael Draccon decidiu fugir de todo o universo fantasioso e inocente que trouxe na renomada e popular saga Dragões do Éter (que, praticamente, fez seu nome) e traz um universo sujo, vulgar e escuro, não sendo indicado para menores e para o público mais jovem.
Em um livro curto e com capítulos mais curtos ainda, a obra parece mais uma tentativa do autor para ver se ele tem o dom ou a opção de experimentar novas vertentes e temáticas, como fez J.K.Rowling após pular da fantasia de Harry Potter para o drama real em Morte Súbita. Já adiantando um pouco da minha opinião: se eu fosse Draccon, não largaria a fantasia e assumiria de vez que seu talento, pelo menos após a leitura de Espíritos de Gelo, deveria se restringir ao público jovem, que já o admira por tudo que ele trouxe.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

[MINHA RESENHA] Eu e Você - Niccolò Ammaniti

Eu e Você
Ammaniti, Niccolò
Editora Bertrand Brasil, 2013



Eu e Você é uma curtíssima obra dramática escrita pelo italiano vencedor do Prêmio Strega em 2007, Niccolò Ammaniti. O livro foi lançado em uma primeira edição no ano de 2010, fora do Brasil, e somente em 2012 foi traduzido e publicado pela Bertrand Brasil. Também em 2012, o livro foi adaptado para as telonas (se é que tem como ser "adaptado" mesmo, já que é muito curto), dirigido por Bernardo Bertolucci (trailer no final da matéria).
Eu e Você, para mim, foi um dos maiores trolls de 2014, já que li acreditando ser uma história de amor, romance, ou algo do gênero, por sua capa extremamente sugestiva. Além disso, não costumo ler sinopses antes de ler algum livro, então aí é que minha surpresa foi maior ainda. Tem nada a ver com história de amor, absolutamente NADA! Não tem beijos, gente se pegando, melosidades e clichês pra lá e pra cá, ou aqueles dramas chatos quando o casal se separa e fica refletindo sobre a vida. Não tem nada disso mesmo.
Há pouco o que falar do livro. É uma historinha bem simples, rápida, sem muitas lições ou reflexões e que, particularmente, não pude tirar muita coisa que possa ser levada para minha vida. Vou ser o mais breve possível.

domingo, 9 de novembro de 2014

[NOVIDADE NA INTERNET] Dogma - Contos de Terror

E ae pessoal? Como vocês sabem, sou uma contradição quanto ao que diz respeito ao terror e afins. Sou muito medroso e assustado, ao mesmo tempo que "tento" ver muitos filmes do gênero e trazer aqui minhas experiências para vocês.
Eu até que gosto, pois o terror e o drama são os únicos gêneros que mexem comigo e com meus sentimentos, nem que seja de um modo extremo, então curto a experiência de me aventurar em um desses dois.
Uma novidade que tenho para trazer a todos é o lançamento do primeiro websódio de terror do Canal Dogma - Contos de Terror, que foi ao ar ontem, no dia 08. O conto conta apenas com uma narração e com sonoridade, fazendo com que você apenas mergulhe na história e crie o cenário, imagine, do modo como você bem entender, como se fosse uma leitura.


O primeiro conto lançado é A Chácara e trata da história de uma família que decidiu passar um fim de semana (que deveria ser tranquilo) em uma chácara isolada que decidiram alugar. Posteriormente, coisas macabras começam a tirar a calma de todos que estão lá.
Acredito piamente que tenha sido o primeiro conto de muitos que virão e, para que o canal continue tendo sucesso em seu trabalho, é mais do que importante que você siga a fanpage (clique aqui), para poder interagir com os membros e seguidores, e se inscreva no canal (clique aqui), para ficar sempre por dentro das novidades e das próximas histórias que aparecerão.
Assista A Chácara:


Gostou? Não deixe de apoiar a page e o canal e de incentivar a equipe do Dogma a trazer sempre mais histórias sombrias e macabras para tornar nossas madrugadas mais interessantes!

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Tag #04 - LIEBSTER AWARD!!

E ae, pessoal! Com o blog voltando à ativa quase agora, também já passou da hora de lançar mais uma tag aqui pra vocês me conhecerem melhor.
Fui indicado pelo grande Jonathas Ferreira, adm do blog Menino Leitor e, por conta dessa indicação agradabilíssima, aceitei o desafio. Vamos começar! Primeiramente, as regras:

Escrever 11 fatos sobre você;
Responder as perguntas de quem te indicou;
Indicar 11 blogs;
Fazer 11 perguntas para quem você indicou;
Colocar uma imagem mostrando o selo Liebstar Linkar no post da tag.





ONZE FATOS SOBRE MIM


1 - Sou completamente viciado em fandangos de presunto;
2 - Não sei andar de bicicleta;
3 - Apesar de ensinar matemática, odeio essa matéria;
4 - Tenho um casal homossexual de porquinhos-da-índia;
5 - O Apanhador no Campo de Centeio é minha bíblia;
6 - Fico triste quando como;
7 - Sou capitalista e defendo o consumismo;
8 - Nunca vi um filme de terror completo no cinema;
9 - Sou viciado em livros;
10 - Joffrey Baratheon era um dos meus personagens favoritos de GoT;
11 - Gosto de samba e pagode e escuto Imaginasamba e 22 Minutos.



PERGUNTAS INDICADAS PARA EU RESPONDER


1 - Qual seu livro favorito?
          O Apanhador no Campo de Centeio.

2 - Qual sua série favorita?
          Spartacus.

3 - Qual seu personagem literário favorito?
          Holden Caulfield.

4 - O que você mais gosta de fazer?
          Difícil... Tenho sérias dúvidas entre dar aula, ler ou comer fandangos de presunto.

5 - O que você faz ou vai fazer depois de se formar?
          Muita coisa. Profissionalmente, pretendo continuar a carreira de professor e me especializar. Como hobby, pretendo hibernar e passar um tempo estudando as espécies desconhecidas no Alasca (vai e eu encontro um Alien ou a nave do Superman, sei lá...).

6 - Qual o livro que você mais odeia?
          Os Sertões, de Euclides da Cunha. Beleza que é um clássico regional e ainda mais um clássico da MINHA região, mas é um livro extremamente detalhista, descritivo e entediante. Demorou mais de 3 meses pra eu terminá-lo, realmente foi uma guerra. Fora isso, odeio Culpa é Das Estrelas. Nada pessoal contra a história (é até bonitinha) ou contra o autor, mas criei um ódio mortal por conta dos fãs EXTREMAMENTE CHATOS E IRRITANTES que ficam babando o ovo de um livro comum como esse, além de ficar chamando de ACEDE. Cara, pqp, tenho muita raiva quando leio essa sigla. Todas as pessoas que o chamam assim estão na minha black list e vou passar à limpo pro meu Death Note.

7 - Qual sua saga favorita?
          Minha resposta será apenas: Senhor dos Anéis e tudo que tiver relação com a Terra Média.

8 - Qual seu gênero literário favorito?
          Drama real. Uma história forte de algo que realmente possa acontecer. Já indicando um, pois sou legal, indico Minha Metade Silenciosa, de Andrew Smith. Foi a melhor supresa que tive neste ano.

9 - Qual o livro mais triste que você já leu?
          Como gosto de dramas, já li muitos livros tristes. Mas acredito que o mais triste que tenha lido tenha sido Morte Súbita, que é uma obra muito forte e real, além de ser cheia de eventos trágicos. E recomendo também hehehe

10 - Qual o blog/site que você mais visita?
          O que eu mais visito é o Submarino ou a Saraiva. Mas não pra comprar, só pra imaginar o que eu compraria se fosse rico.

Ps: Infelizmente, só me foi indicado 10 perguntas... Mas acredito que esteja de bom tamanho e espero que tenha agradado à todos os leitores e interessados na tag ;)



BLOGS INDICADOS 


PERGUNTAS PARA OS BLOGS QUE INDIQUEI RESPONDEREM


1 - O que te estimula a ler?
2 - Qual o melhor livro que já leu e porque?
3 - Qual o personagem literário que você mais se identificou?
4 - Qual o(s) livros que seriam indispensáveis em sua estante?
5 - Por que criou um blog literário?
6 - Tem amigos ou conhecidos para conversar sobre suas leituras?
6 - Você já foi julgado por ter hábito de ler?
7 - Qual o pior livro que já leu e quais os motivos pra ter sido o pior?
8 - Qual a capa de livro mais bonita que já viu?
9 - Filme ou livro?
10 - Livro digital ou físico?
11 - Alguma frase que você leu e te marcou.



OBS: Decidi indicar 13 ao invés de 11, pra que todo mundo que entrou em contato comigo possa participar :D Então acho que não tem problema algum.


Espero que tenha gostado e até a próxima tag! ;)

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

[MINHA RESENHA] As Vantagens de Ser Invisível - Stephen Chbosky

As Vantagens de Ser Invisível
Chbosky, Stephen
Editora Rocco, 2012



As Vantagens de Ser Invisível é uma obra infanto-juvenil, sem um gênero específico por causa de sua imensa variedade temática e pela enorme capacidade do escritor norte-americano, Stephen Chbosky, de conseguir juntar drama, comédia e romance em um único enredo de forma primorosa. O livro foi lançado, inicialmente, em 2007 pelo selo Rocco de Jovens Leitores e apenas em 2012 sofreu uma reedição por causa do lançamento do filme homônimo e fez parte do selo oficial da Editora Rocco, voltado para o público em geral.
Durante a leitura, teci intensas críticas sobre a classificação infanto-juvenil que a obra recebeu por parte dos grandes órgãos literários e confesso que uma dúvida se instalou em mim. Basicamente, pela minha opinião, essa classificação acabou sendo responsável por distanciar As Vantagens de Ser Invisível de um público maior e a obra obteve destaque infinitamente superior na área dos adolescentes. Em minha visão, foi uma enorme falha, pois o livro tem uma mensagem altamente madura e não-selecionada para um público específico. Em alguns momentos, percebo que vários fatos não são voltados para um público mais jovem, já que tratam de temas mais adultos e maduros que serão descobertos pelas pessoas no passar das fases da vida. Para a felicidade de Stephen Chbosky, o mundo está cada vez mais precoce (não entenda por "mais maduro") e sua obra acabou tornando-se fenômeno internacional entre os jovens, ganhando um merecidíssimo reconhecimento, por ser uma história incrivelmente bem contada e simples.
As Vantagens de Ser Invisível foi tão controverso e polêmico, que foi banido de várias escolas, pra você ver, mais uma vez, como foi classificado precipitadamente. Tratando de temas como a sexualidade, drogas, mentiras e traições e das descobertas adolescentes, mas de uma forma jovem e, por conta da personalidade do protagonista, inocente, o livro claramente trata das experiências vivenciadas por alguém de verdade, o que tudo indica ser o autor, Stephen Chbosky.
A obra recebeu uma adaptação cinematográfica, como podemos ver na capa do livro, e foi tão bem recebida pelo público quanto a história do livro.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

*Desafio Literário* [MINHA RESENHA] Éramos Seis - Maria José Dupré

Nesta etapa do Desafio Literário 2014, estaremos trazendo um clássico que marcou a infância de muitos e desmarcou a de outros, já que nem todos gostavam de se matar para ler um paradidático apenas para uma provinha.
Éramos Seis foi uma obra que mereceu destaque nas nossas vidas e, particularmente, foi o livro que mais me marcou durante minha pré-adolescência. Por seu conteúdo maduro e moral, além de uma história forte e envolvente, muitos lembrarão para sempre da sofrida vida da família Lemos e das constantes batalhas que uma mãe enfrentava para poder ser a melhor e dar o melhor para seus filhos.



Éramos Seis
Dupré, Maria José
Editora Ática, 2013 (Últ. Edição)



Éramos Seis é uma história dramática e de época, integrante da Coleção Vaga-Lume de livros infanto-juvenis. Lançado, em uma primeira edição, pela Companhia Editora Nacional, a obra foi recebendo várias reedições durante o passar das décadas e nunca deixou de ser esquecida pelos apreciadores de uma excelente leitura nacional. Sua última edição foi responsabilidade da Editora Ática e foi publicada em 2013. A história sofrida e guerreira da família Lemos foi contada pela pela escritora paulista e um dos nomes mais importantes da literatura brasileira, Maria José Dupré que teve em Éramos Seis o ápice da sua carreira, conquistando merecidamente o Prêmio Raul Pompeia da Academia Brasileira de Letras e o Prêmio José Ermírio de Moraes.
Maria José Dupré teve participação fundamental na construção de um espaço literário brasileiro voltado para o público infantil e adolescente, mas nunca deixando de lado a maturidade e as lições que poderiam ser retiradas de suas histórias. Foi membro diretivo da Sociedade Paulista de Escritores e era uma fiel defensora dos movimentos feministas e na busca das mulheres por destaque na sociedade e por direitos iguais, o que ficou mais do que transparecido na personalidade de D. Lola, a mulher da família Lemos, em Éramos Seis.

[DIA DE FILME] Pássaro Branco na Nevasca

Pássaro Branco na Nevasca (2014)



Gênero: Drama
Data de lançamento: 20 de Janeiro de 2014 (EUA)
Tempo: 91 minutos
Direção: Gregg Araki
Escrito por: Gregg Araki, Laura Kasischke
Estrelado por: Shailene Woodley, Eva Green, Christopher Meloni





Pássaro Branco na Nevasca (White Bird in a Blizzard) é um filme dramático lançado em 2014 e que traz, em seu elenco, grandes nomes das produções cinematográficas atuais, tal como a protagonista e encarregada do papel principal, Shailene Woodley (A Culpa é das Estrelas), a mais nova queridinha de Hollywood. Além dela, o longa conta com a estrela Eva Green (300: A Ascensão do Império) e com o ator Christopher Meloni (Surviving Jack). O longa franco-americano dirigido por Gregg Araki foi reconhecido por ser um filme independente, de baixo orçamento e de baixa repercussão, mas não deixa de ser um filme recomendado. O filme baseado na obra literária de Laura Kasischke teve recepção mediana por parte da crítica, acredito que por ser um filme desconhecido e ofuscado pela indústria.

domingo, 2 de novembro de 2014

[A MÃO DO ESCRITOR] Um conto e uma poesia #08

Há quanto tempo essa sessão estava esquecida! Muito aperreio no trabalho e na faculdade me fizeram ficar voltado apenas para as análises e resenhas. Mas, aos poucos, à medida que tudo for desafogando, a frequência de nossa sessão voltará a ser como antes e todo final de semana trarei novidades aqui para vocês :)
Desta vez, trago o novo conto da escritora de Harry Potter, J.K.Rowling, que decidiu nos presentar com a história da nada querida Dolores Umbridge, que presidiu a escola de magia e de bruxaria durante o 5º livro da saga. Logo após, trarei uma poesia lindíssima e interessante da falecida poeta Elizabeth Bishop e que me senti no dever e na obrigação de postar aqui no blog.


Espero que gostem e que se sintam tocados pela poesia, tal como com a surpresa agradabilíssima da criadora do bruxo mais famoso da literatura.


[MINHA RESENHA] Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira

Cartas de Amor aos Mortos
Dellaira, Ava
Editora Seguinte, 2014



Cartas de Amor aos Mortos é um livro do gênero dramático e classificado como infanto-juvenil, apesar de ter um conceito e uma ideia maduros, podendo ser lido e apreciado por jovens e adultos de todas as idades. A obra foi escrita pela americana Ava Dellaira e foi o seu romance de estreia, muito bem criticado e recebido pelos leitores. Aqui no Brasil, foi lançada neste mesmo ano de 2014 e publicada pela Editora Seguinte. Cartas de Amor aos Mortos já se torna diferenciada, principalmente, por seu aspecto estético, já que a personagem principal se comunica com o leitor através de cartas escritas aos mortos, estes que são ídolos da garota, tais como Jim Morrison, Heath Ledger, Janis Joplin, Elizabeth Bishop, Kurt Cobain, Amy Winehouse, Judy Garland e outros vários astros de época. Para fazer relação à depressão existente na jovem e ao drama vivenciado por ela, um link entre a sua tragédia pessoal e as fatalidades dos famosos tornou-se estritamente necessário e importante, sendo traçadas intensas analogias entre os fatos e comparações sobre o que se passava na mente de todos que encontraram, na morte, a única saída para a libertação e para a paz.

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

[MINHA RESENHA] Na Corda Bamba - Max Franco

Na Corda Bamba
Franco, Max
Decifra Editora, 2010


Na Corda Bamba é um livro que melhor se encaixa no gênero suspense, apesar de conter características de vários outros, principalmente dos documentários históricos, publicado, inicialmente, em 2007 pela Expressão Gráfica e Editora. A obra foi escrita pelo premiado autor cearense Max Franco e já é o quinto livro dele. Max é um autor regional com extremo potencial, comprovado, principalmente, após receber um dos prêmios mais importantes da cidade, o Prêmio Ideal Clube de Literatura, além de ter concorrido contra mais de 500 outros nomes e obter sucesso no evento, conquistando o Prêmio Eduardo Campos de melhor conto, por "Marca de Toda a Gente é Bondade".
O autor conquistou um espaço de destaque no cenário nacional de literatura e busca disseminar a arte da leitura entre os jovens através de projetos sociais e visitas a escolas, tudo com o foco no incentivo às letras.
Max Franco é formado em Letras pela Universidade Estadual do Ceará e em Turismo pelo atual IFCE. Atuou como guia de turismo, professor de português, italiano e literatura. Hoje, é consultor de turismo e orientador pedagógico em uma das maiores escolas do Estado.
Com 5 livros já escritos e publicados (Na Corda Bamba, No Fio da Navalha, O Confessor, Palavras Amargas e Palavras Amargas), o autor já anunciou que mais 2 livros estão sendo encaminhados e irão dar as caras em breve.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

[OFF] As melhores coisas do mundo #1 - FANDANGOS DE PRESUNTO

E ae, pessoal? Bom, pra descontrair e mudar as coisas por aqui, decidi criar uma tag semanal para fazer com que vocês se aproximem de mim e vice-versa. Com isso, vou me apresentar melhor para todos e mostrar tudo que, nesse mundo, fazem a diferença para mim :)


Para quem já me conhece e sabe o que penso das coisas e o que sinto, percebe que sou um cara que odeia quase tudo no mundo. Sou extremamente revoltado, apesar de ser passivo e preferir me trancar em meu quarto do que fazer algo que realmente faça a diferença (me julguem!). Gosto do meu ambiente e da minha zona de conforto e, enquanto a comida tiver boa, prefiro me manter quieto.
Mas, apesar de eu detestar muito e criar uma repulsa por muita coisa, ainda sou uma pessoa legal e me atraio bastante pelo que ainda existe por aí.
Então, vou trazer aqui, semanalmente, tudo que me faz bem, me faz feliz e que fez e faz a diferença em minha vida :) Espero que gostem da tag e que, deste modo, conheçam melhor o autor de todas essas matérias do Café Macaca ;)

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

[ESPECIAL MÊS DE HALLOWEEN] Micro maratona do terror!!!

E ae, galera? O covardão aqui voltou e, dessa vez, trazendo mais uns filmes de terror que foram assistidos como eu uma maratona neste final de semana.
Sempre me testando e, até mesmo, me dando a oportunidade de conhecer e trazer novos filmes a vocês, sinto que, aos poucos, estou perdendo o medo, apesar de os filmes que eu trazer não terem os elementos que me assustam de verdade e serem mais focados nos dramas ou na violência.
Enfim, alguns desses são muito bons e recomendo mesmo, principalmente por serem desconhecidos por muitos de vocês. Outros, desejo que passem o mais longe possível. Não por serem assustadores, mas por serem muito ruins mesmo.
Enfim, a lista está aí e espero que gostem :)


Enfim, vai ser extremamente apressada esta maratona e irei passar um breve comentário acerca dos filmes vistos, expondo uma curta opinião sobre o dito cujo, basicamente comentando sobre minha experiência durante a transmissão.
Por ordem, segue a lista dos filmes:

  • Contracted (EUA/2013)
  • Joy Ride 3 (EUA/2014)
  • Seed (Canadá/2007)
  • Monster - Humanoids From The Deep (EUA/1996)
  • All About Evil (EUA/2010)
  • The Possession of Michael King (EUA/2014)
  • Hotel Inferno (EUA/2013)

Vá em leia mais para conhecer mais sobre os filmes e minha opinião sobre cada :)

domingo, 19 de outubro de 2014

[DIA DE FILME] Annabelle

Annabelle (2014)



Gênero: Terror
Data de lançamento: 29 de Setembro de 2014 (EUA)
Tempo: 99 minutos
Direção: John R. Leonetti
Escrito por: Gary Dauberman
Estrelado por: Ward Horton, Annabelle Wallis, Alfre Woodard






Annabelle é um filme hard de terror (bastante hard, pelo menos para mim), que foi retratado como um spin-off de Invocação do Mal (2013), considerado um dos filmes de terror mais assustadores e mais bem recebidos da história (apesar de não ter me dado nenhum susto, praticamente), contando a história da boneca encapetada que foi enclausurada no quarto de artefatos do investigador paranormal Ed Warren e que aparenta ter uma história cruel e demoníaca, infelizmente pouquíssimo aprofundada no filme de 2013. Com isso, um grande interesse por parte dos fãs acabou sendo gerado e, depois de muitos pedidos, o diretor John Leonetti (Sobrenatural, Invocação do Mal), juntamente ao roteirista Gary Dauberman (Premonição 5, A Hora do Pesadelo), decidiu realizar o "sonho" doentio dos telespectadores. E eis o resultado.
Annabelle, após chamar a atenção em Invocação do Mal, causou enorme êxtase após ser anunciado e, principalmente, após ter seus trailers divulgados. O filme já se mostraria extremamente tenso e assustador e, deste modo, quando foi lançado, trouxe em massa os admiradores de um bom terror, que já esperavam por algum lançamento digno do pagamento de uma entrada ao cinema.
Bom, pra ter ideia do tamanho da expectativa que existia para com o filme, eu, o maior mijão do nordeste, decidi enfrentar o mundo e o cosmos do universo para poder assistir ao filme. Fui já me tremendo, com medo só da cara da boneca encapetada, e tive uma das experiências mais traumáticas da minha vida. Contarei logo em detalhes e já adianto que não consegui assisti Annabelle por inteiro (como sempre) e que não pretendo voltar tão cedo a uma sala de cinema para assistir algo do gênero. 

sábado, 18 de outubro de 2014

[DIA DE FILME] Maze Runner - Correr ou Morrer

Maze Runner - Correr ou Morrer (2014)



Gênero: Ação/Suspense
Data de lançamento: 11 de Setembro de 2014 (México)
Tempo: 113 minutos
Direção: Wes Ball
Escrito por: Noah Oppenheim, Grant Pierce Myers
Estrelado por: Dylan O'Bryan, Kaya Scodelario, Will Poulter






Maze Runner - Correr ou Morrer é o filme de ação e mistério baseado na obra homônima escrita por James Dashner e que logo tornou-se uma das obras juvenis mais aclamadas da atualidade, principalmente após a adaptação para as telonas. o filme teve uma média para boa recepção por parte dos críticos e uma boa recepção por parte dos telespectadores e fãs, que julgaram o filme bem fiel (apesar de ser adaptado) e com o clima bem similar se comparado ao livro.
Antes de ser produzido por Hollywood e mesmo antes dos boatos, conversei com um amigo sobre a saga Maze Runner, que era, até então, desconhecida para mim. Ele super elogiou a série e disse que foi o melhor livro que já leu. Sem spoilers, meu amigo passou um breve comentário sobre o objetivo da trama e como ela se torna algo extremamente grandioso e, deste jeito, minha atenção acabou sendo presa. Um tempo depois, o trailer foi divulgado e, como sempre julgo um filme por seu trailer (como em O Homem de Aço), minha expectativas se elevaram às estrelas e aguardei ansiosamente pela estreia de Maze Runner em 2014. Posso dizer que todas minhas expectativas foram bem recompensadas e que o filme me prendeu do começo ao fim.
Com um enredo original, criativo e sem apelações; com drama na medida certa e com momentos intensos, o filme, praticamente, só acertou. Devemos levar em consideração a atuação dos protagonistas (sim, protagonistaS) que, apesar de alguns serem, praticamente, marinheiros de primeira viagem, se sobressaem diante de tantos aspectos positivos do longa. Sendo bem pessoal, dou destaque ao ator Thomas Brodie-Sangster (o Jojen de Game of Thrones), que interpretou o extremamente humano, Newt, um rapazinho diferente, com uma personalidade amigável e singular, além de ter um estilo próprio e diferenciado, responsável por quase a totalidade da filosofia e dos diálogos profundos do filme e que busca despertar o lado mais decidido e corajoso de seu companheiro Thomas.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

[MINHA RESENHA] O Planeta dos Macacos - Pierre Boulle

O Planeta dos Macacos
Boulle, Pierre
Editora Pocket Ouro, 2008



O Planeta dos Macacos foi escrito e publicado em 1963 pelo escritor, aventureiro e desbravador francês, Pierre Boulle (um dos caras com a vida mais louca que já pude conhecer). A obra distópica foi publicada no Brasil neste mesmo ano pela editora Unibolso e, 45 anos depois, foi relançada em uma edição contemporânea pela renomada Pocket Ouro, responsável por trazer os clássicos de forma readaptadas. O livro logo seria adaptado para o cinema e se transformaria em um dos maiores lançamentos de ficção científica da história, sendo recontada e reinventada até os dias atuais, como recentemente sofreu nas mãos do diretor Rupert Wyatt, que transformou o universo dos símios em uma algo bastante dramático, forte e chocante, com um filme bastante aclamado (principalmente pela participação de quem, futuramente, se tornaria o líder dos macacos: César) e que tornou-se um sucesso de crítica, além de receber indicação para o Oscar de Melhores Efeitos Especiais. Atualmente em sua 11ª adaptação aos cinemas, a história de um planeta ao inverso, dominado por macacos, logo seria uma das ficções mais consagradas do cinema, perdendo, talvez, apenas para Alien e Star Wars, e promete ficar sempre na lembrança de todas as gerações.
Apesar das notáveis modificações sofridas por conta das inúmeras adaptações, a obra de Pierre Boulle ainda é considerada bem original e diferente, se destacando em meio a tantos clichês, histórias jovens e comuns, além de ser um clássico da literatura internacional.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

*Desafio Literário* [MINHA RESENHA] Spartacus - Howard Fast

Vamos ficando velhos e o tempo parece que vai ficando mais curto durante os dias. Semaninhas meio complicadas essas últimas, mas tudo indica que as coisas já se resolveram bem e, finalmente, depois de um bom tempo, consegui me organizar para manter o blog atualizado como de início.
Enfim, concluí mais uma etapa do Desafio Literário 2014, que os acompanhantes do Café Macaca já devem conhecer e, desta vez, o assunto a ser abordado pelo livro será uma obra que foi adaptada para série televisiva.
Diante disso, nada mais justo do que resenhar sobre a obra de Howard Fast que deu origem à minha série favorita, Spartacus, que, infelizmente, teve seu fim. O seriado é fantástico e extremamente emocionante e, como se esperava, o livro só poderia se equiparar ou, até mesmo, ser melhor. Confira logo abaixo sobre a clássica história do escravo que lutou contra a opressão romana e conheça minha opinião sobre essa lenda histórica e enraizada até os dias atuais.


Spartacus
Fast, Howard
Editora Bestbolso, 2007



Spartacus é uma epopeia escrita em 1951 pelo roteirista e escritor americano, Howard Fast. O romance histórico foi publicado no Brasil somente 8 anos depois, pela antiga editora Bestseller, traduzido por Gil de Sá. O livro teve pouquíssima repercussão, principalmente no Brasil, já que foi ofuscado por sua adaptação cinematográfica dirigida por ninguém mais, ninguém menos, que Stanley Kubrick (Laranja Mecânica), além de receber duas adaptações televisivas: uma minissérie desconhecida, em 2004, e a ACLAMADÍSSIMA série americana da Starz, lançada em 2010 e composta por três temporadas e uma minissérie contando a origem da casa Batiatus e de um dos maiores aliados de Spartacus (inclusive no livro), o gladiador Gannicus.
Spartacus tornou-se uma das lendas mais nobres e veneradas da história, incentivando (não incitando) os movimentos contra as massas opressoras e dominadoras, de um modo pacífico ou não. Deste modo, a lenda permanece viva até os dias atuais. Talvez poucos conheçam o nome do escravo Spartacus, mas suas atitudes são repetidas ainda na atualidade e são, aos poucos, disseminadas em várias regiões que sofrem contra as crueldades, os métodos coloniais e a forte hierarquia imposta contra as minorias ou contra os mais necessitados.

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

[DIA DE FILME] Precisamos Falar Sobre o Kevin

Precisamos Falar Sobre o Kevin (2011)



Gênero: Drama
Data de lançamento: 12 de Maio de 2011 (França)
Tempo: 112 minutos
Direção: Lynne Ramsay
Escrito por: Lynne Ramsay, Rory Kinnear
Estrelado por: Tilda Swinton, John C. Reilly, Ezra Miller




Precisamos Falar Sobre o Kevin é um filme do gênero dramático, dirigido pela escocesa Lynne Ramsay e escrito pela mesma e por seu marido, desde 2010, Rory Kinnear. O longa foi baseado na obra homônima escrita por Lionel Shriver em 2003, vencedora do Orange Prize em 2005. Trazendo em seu curto elenco nomes como o de Tilda Swinton (As Crônicas de Nárnia), John Christopher Reilly (Guardiões da Galáxia) e Ezra Miller (As Vantagens de Ser Invisível), o filme trata de um drama psicológico e familiar vivido pela mãe da família Katchadourian, que não consegue se adaptar e nem conviver com a existência de seu filho mais velho, Kevin.
Apesar de complexo e bastante fragmentado, o filme traça um foco bastante objetivo, como se fosse desenvolvido através do ponto de vista de Eva e Kevin apenas fosse um agente passivo de todo o drama vivenciado pela sua mãe.
Precisamos Falar Sobre o Kevin foi um longa pouco reconhecido, apesar de ser bem aceito pela crítica e ter uma boa nota no IMDB. Teve um merecido prêmio entregue à Tilda Swinton, em 2011, no Prêmios do Cinema Europeu, além de obter indicação para o Globo de Ouro e para o SAG, ambos em 2012, ambos para a categoria de Melhor Atriz para Tilda,

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

[DIA DE FILME] Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças (2004)



Gênero: Drama/Ficção Científica
Data de lançamento: 19 de Março de 2004 (EUA)
Tempo: 108 minutos
Direção: Michel Gondry
Escrito por: Charlie Kaufman, Michel Gondry
Estrelado por: Jim Carrey, Kate Winslet, Kirsten Dunst, Mark Ruffalo, Elijah Wood, Tom Wilkinson




Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças é um filme dramático, com uma forte apelação romântica (sem ser nem um pouco clichê) e com um conflito tendendo para a ficção, lançado, oficialmente, em 2004. Foi dirigido pelo francês Michel Gondry e teve, em seu elenco, grandes nomes do cinema internacional e que, futuramente, seriam responsáveis por um legado histórico no cinema, tais como o ator Elijah Wood (O Senhor dos Anéis), Mark Ruffalo (Os Vingadores), Kirsten Dunst (Melancolia), Kate Winslet (O Leitor), além do protagonista Jim Carrey (Sim, Senhor), que conta com sua atuação mais diferente e mais marcante, que desmistifica toda a sua personalidade infantil e, até mesmo, estúpida, que transparece em seus outros filmes. Acredito que, inicialmente, Brilho Eterno chame a atenção exatamente pela participação deste ator e pela sua seriedade e dramaticidade impostas. Diferentemente de outros filmes que Jim Carrey protagonizou (um mais ridículo que o outro), Brilho Eterno é uma obra extremamente sensível, profunda e filosófica, com um alto nível de complexidade e constituindo um quebra-cabeças perfeitamente bem explicado em suas cenas finais.
O longa teve uma repercussão bastante positiva, com uma nota de 8,4 no IMDB, e é classificado como um dos filmes mais vistos e que mais agradaram um publico, por ser completo, equilibrar o romance, o drama, a comédia, tudo com muito bom gosto, com excelentes e lindos diálogos, e aproximando as personalidades dos protagonistas com as personalidades de pessoas comuns, o que torna Brilho Eterno, apesar de ser uma ficção científica, bastante real.
O filme é aberto à várias interpretações, nos trazendo gostos e sensações diferentes a cada vez que assistimos, além de trazer um clássico romance no estilo francês. 
Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças recebeu MUITAS indicações à premiações em quase todo o mundo, com o destaque à vitória no Oscar de Melhor Roteiro Original e de Melhor Atriz para Kate Winslet. Além disso, foi indicado em 4 categorias no Globo de Ouro, Curiosamente (ou não), foi vencedor de Melhor Filme Estrangeiro na premiação brasileira do Grande Prêmio BR do Cinema Brasileiro.

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

*Desafio Literário* [MINHA RESENHA] O Exorcista - William Peter Blatty

Mais uma etapa concluída do Desafio Literário deste ano de 2014 e, desta vez, trazendo para vocês a obra que inspirou um dos maiores e mais assustadores filmes de terror de todos os tempos: O Exorcista, de William Peter Blatty.
Para muitos que nem sequer sabiam da existência do livro, confira a resenha e conheça um pouco mais deste marco sombrio e macabro, desenvolvedor de uma das ideias para filmes de terror mais utilizadas atualmente, até mesmo, de um modo apelativo demais, a religiosidade e a Fé.


O Exorcista
Blatty, William Peter
Editora Gailivro, 2010



O Exorcista é um livro escrito pelo autor norte-americano, William Peter Blatty. Escrito, originalmente, em 1971, o livro só foi publicado no Brasil um ano depois, inicialmente, pela editora Nova Fronteira. A obra tornou-se, em seguida, uma das mais importantes e mais influentes da história, já que relatava com extrema veracidade um fato real, registrado no território de Maryland. O fato foi relatado por um padre, atualmente sem identificação, que afirmou ter exorcizado um garoto de 13 anos, em um processo que durou cerca de 6 semanas. O caso logo chamou a atenção da mídia internacional, que caiu em cima do fato e desenvolveu uma forte investigação acerca do evento. Ao final de tudo, a possessão e a existência do demônio tornou-se desacreditada e foi confirmado que não passou de um falso alerta, com outro padre, chamado Walter Halloran, que nenhum dos sintomas foi notificado e que não passou de uma hipótese sem fundamentos. A obra, no Brasil, foi responsável por um fato histórico. O Dicionário Aurélio, uma das maiores referências da atualidade em nosso país, foi possível graças aos lucros e fundos obtidos pela editora Nova Fronteira, após a publicação e venda de O Exorcista.
Posteriormente, em 1973, foi lançado o filme baseado na obra de William Peter Blatty, que logo se tornaria um dos maiores filmes de terror de todos os tempos. A história da jovem Regan logo tornou-se amplamente conhecida pelo mundo e o filme é base e referência para boa parte do horror contemporâneo. O filme de William Friedkin foi o primeiro e único filme de terror a ser indicado ao prêmio de Melhor Filme. Até hoje, nenhum outro do gênero atingiu este feito. Fora isso, ganhou o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado e de Melhor Som, além de 4 Globos de Ouro (Melhor Filme Dramático, Melhor Diretor, Melhor Roteiro e Melhor Atriz Coadjuvante).

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

[CONHECENDO A SÉRIE] Yami Shibai - Japanese Ghost Stories

Yami Shibi - Histórias de Terror Japonesas é um anime lançado em 2013, dirigido por Tomoya Takashima, escrito por Hiromu Kumamoto e produzido pela ILCA. Trata de micro relatos de terror, trazendo lendas contadas no interior do Japão, além de mostrar o lado obscuro e mais macabro das histórias de assombração. Yami Shibi explora a rica cultura oculta ocidental. Um destaque da série é a qualidade gráfica e o diferencial mostrado através dela, já que imita a técnica narrativa conhecida por Kami Shibai, tradição japonesa inspirada pelo uso artístico de figuras de papel e rolos de pintura.


Yami Shibai é composta de 13 episódios, com histórias curtíssimas para cada um, cerca de 3 a 4 minutos, aproximadamente, como algum tipo de curta-metragem. Apesar disso, não deixa de ser extremamente assustadora e de fazer jus às grandes produções japonesas, quase especialistas em criar histórias tensas e bastante bizarras e reais.

sábado, 20 de setembro de 2014

[MINHA RESENHA] O Oceano no Fim do Caminho - Neil Gaiman

O Oceano no Fim do Caminho
Gaiman, Neil
Editora Intrínseca, 2013



O Oceano no Fim do Caminho foi tratado como um mega lançamento do premiadíssimo e internacionalmente conhecido criador de Sandman, o britânico Neil Gaiman, por se tratar de ser seu primeiro romance adulto desde 2005. O livro relata um drama fantástico, narrado pelo próprio protagonista (que não tem nome) 40 anos depois dos fatos mostrados na história principal. Foi lançado no Brasil em 2013 pela editora Intrínseca em uma edição com uma capa lindíssima, por sinal (foi um dos motivos para eu ter comprado) e, posteriormente, em 2014, pela editora Presença, em uma segunda edição, com uma redução no número de páginas.
O Oceano no Fim do Caminho é um livro com um alto nível de profundidade e reflexão, por isso foi indicado para maiores. A crítica do livro foi internacionalmente positiva, agradando, praticamente, a todos. Uma obra memorável que emocionará todos os públicos. A obra de Neil Gaiman conseguiu uma média de 81% de reconhecimento positivo agregando toda a opinião internacional. 

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

[MINHA RESENHA] Iluminadas - Lauren Beukes

Iluminadas
Beukes, Lauren
Editora Intrínseca, 2014



Iluminadas é um livro do gênero mistério/suspense, escrito pela sull-africana Lauren Beukes, publicado em 2014, no Brasil, pela editora Intrínseca. No estrangeiro, a obra foi publicada em 2013 tanto pela HarperCollins quanto pela Mulholland Books. Posteriormente, após duras guerras contra outras editoras, a HarperCollins adquiriu os direitos internacionais de Iluminadas. Sobre o contexto, autora decidiu "americanizar" a história, fugindo dos ambientes africanos, ainda mais pelo motivo de, segundo Beukes, a aventura de um viajante no tempo na África seria, basicamente, uma história sobre o Apartheid. 
O livro foi bem nos reviews mundiais e tornou-se bastante defendido pela crítica, principalmente no que diz respeito à originalidade da obra, às novidades que trouxe e à inserção de uma personalidade criminosa única: o icônico serial-killer, Harper Curtis. Ao que tudo indica, uma série televisiva já foi anunciada pela MRC, sem data prevista.
Iluminadas foi vencedor de 4 prêmios literários, incluindo, em 2013, o de thriller do ano.

[MINHA RESENHA] Dança Com Lobos - Michael Blake

Dança Com Lobos
Blake, Michael
Editora Rocco, 1988



Dança Com Lobos é um livro do gênero dramático, escrito pelo americano Michael Blake em 1988 e publicado no mesmo ano, pela editora Rocco, aqui no Brasil. Inicialmente, o livro já foi escrito como uma fonte para uma possível adaptação para o cinema, dando a Michael Blake, posteriormente, o título de roteirista para o filme homônimo que seria bastante aclamado no mesmo ano, em 1991, ganhando surpreendentes 7 de 12 indicações para o Oscar (melhor filme, melhor diretor, melhor fotografia, melhor montagem, melhor trilha sonora, melhores efeitos sonoros e melhor roteiro adaptado), além de 3 de 7 indicações ao Globo de Ouro (melhor filme, melhor diretor e melhor roteiro). Dança Com Lobos ganhou imensa repercussão logo antes de ser adaptado aos cinemas, por conta de sua sensibilidade incrivelmente transparente e de seu forte caráter social e dramático. Infelizmente, houveram várias diferenças entre o livro e o filme vencedor do Oscar e, por conta disso, o livro meio que ficou para trás e o mérito acabou sendo entregue aos relacionados com a adaptação cinematográfica. Uma pena que poucos se ligaram do que perderam ao não ler esse livro maravilhoso.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

[DIA DE FILME] Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário

Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário (2014)



Gênero: Animação/Aventura
Data de lançamento: 21 de Junho de 2014 (Japão)
Tempo: 93 minutos
Direção: Keiichi Sato
Escrito por: Tomohiro Suzuki
Estrelado por: Ayaka Sasaki, Kaito Ishikawa, Kenji Akabane, Kensho Ono, Nobuhiko Okamoto, Kenji Nojima





Acredito que não preciso explicar o que são ou o que foi a história dos cavaleiros de Atena para vocês. O resumo de uma infância e de uma geração não são capazes de explicar o quão nostálgico é falar sobre este grande marco. Acredito que me alongaria demais se tivesse que explicar o contexto e as origens dos poderosos cavaleiros estelares, então irei focar apenas no filme e, uma vez ou outra, terei que fazer menção à animação tão conhecida por todos. Enfim, voltando à Lenda do Santuário.
Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário é o sexto longa sobre histórias paralelas dos cavaleiros. Diferentemente dos anteriores, este lançado em 2014 trata de uma REINVENÇÃO da história principal, uma nova rota que foi traçada para dar uma maior variedade ao estilo e às ramificações que possam existir sobre o anime. Celebrando a carreira de 40 do autor dos cavaleiros, Masami Kurumada, o longa foi extremamente aguardado pelos fãs e, com certeza, é uma das referências a maior animação japonesa já produzida (competindo com Dragon Ball). Foi distribuído em Setembro de 2014 em todo o país pela Diamond Films. 
A Lenda do Santuário  foi fortemente criticado por fãs mais antigos da série e pela própria academia, já que, de acordo com eles, transformou os cavaleiros em algo moderno demais e acabou tirando a essência dos antigos, além de dar novos rumos à história do Santuário e dos Cavaleiros de Bronze. Enfim, achei muito infeliz as críticas duras sobre esse filme, mas darei minha opinião ao final.

[CONHECENDO A SÉRIE] Danganronpa: The Animation

Danganronpa: The Animation, é uma série animada japonesa baseada no jogo de videogame homônimo, produzida pela Geneon Univesal Entertainment, Funimation Entertainment, Mainichi Broadcast, Lerche e Showgate, lançada originalmente em 13 episódios, durante os meses de Julho e Setembro de 2013. O anime tem um forte caráter psicológico e investigativo, com uns toques de drama e suspense moderado, além de trazer uma comédia, às vezes, desnecessária e fora de contexto. Conta com uma violência moderada e, até mesmo, censurada, já que contém muito sangue, mas o mesmo possui uma coloração rosada, não vermelha, para reduzir o impacto aos telespectadores.


Foi recomendado para maiores de 17 anos por conta de seu teor psicológico e maduro, sem contar os diversos e constantes momentos que requerem do telespectador um raciocínio maduro e lógico, proveniente das investigações ocorridas durante os episódios. Danganronpa não foi muito aclamado pelo público e nem pelos fãs do jogo, sofrendo duras críticas sobre sua fuga da história original e sobre o modo como foi empurrado, com os fatos acontecendo rápido demais e sem nenhuma explicação. Ainda acredito que isso foi obra de mega haters pois, apesar de eu nem sequer conhecer jogo ou nada sobre o anime, assisti e achei bastante envolvente e inteligente, sem necessidade dessas críticas exageradas.