text-align: center;

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

[MINHA RESENHA] Dança Com Lobos - Michael Blake

Dança Com Lobos
Blake, Michael
Editora Rocco, 1988



Dança Com Lobos é um livro do gênero dramático, escrito pelo americano Michael Blake em 1988 e publicado no mesmo ano, pela editora Rocco, aqui no Brasil. Inicialmente, o livro já foi escrito como uma fonte para uma possível adaptação para o cinema, dando a Michael Blake, posteriormente, o título de roteirista para o filme homônimo que seria bastante aclamado no mesmo ano, em 1991, ganhando surpreendentes 7 de 12 indicações para o Oscar (melhor filme, melhor diretor, melhor fotografia, melhor montagem, melhor trilha sonora, melhores efeitos sonoros e melhor roteiro adaptado), além de 3 de 7 indicações ao Globo de Ouro (melhor filme, melhor diretor e melhor roteiro). Dança Com Lobos ganhou imensa repercussão logo antes de ser adaptado aos cinemas, por conta de sua sensibilidade incrivelmente transparente e de seu forte caráter social e dramático. Infelizmente, houveram várias diferenças entre o livro e o filme vencedor do Oscar e, por conta disso, o livro meio que ficou para trás e o mérito acabou sendo entregue aos relacionados com a adaptação cinematográfica. Uma pena que poucos se ligaram do que perderam ao não ler esse livro maravilhoso.
John Dunbar foi um consagrado e heroico soldado durante a Guerra Civil Americana. As tropas americanas estavam totalmente cercadas pelo inimigo e seu poderio bélico era bem inferior, foi aí que Dunbar encontrou uma oportunidade para, juntamente ao seu cavalo Cisco, atrair a atenção dos oponentes e, deste modo, abrir uma brecha para suas tropas os atacarem. Com isso, o corajoso soldado subiu de patente e tornou-se um exemplo para o exército norte-americano. Após sua condecoração, Dunbar teve a oportunidade de decidir o local pelo qual serviria nos próximos tempos, optando por realizar seu sonho e se dirigir à fronteira, ao Forte Sedgewick.
Enquanto isso, as tropas que estavam no forte da fronteira não encontraram mais motivos para servir em tal região, pois perceberam que o equilíbrio ali já havia sido estabelecido. Deste modo, decidiram voltar para casa, deixando o forte abandonado. Dunbar acreditava que fosse encontrar alguém por lá e que teria companhia pelos próximos meses mas, para sua surpresa, ao chegar lá, todos já tinham deixado o posto. John Dunbar estava só.
Decidido por não abandonar o posto e acreditando que as tropas logo voltariam a Sedgewick, o agora Tenente se instalou no posto por completo e adotou um estilo de vida que se adequasse à solidão e a um modo de fortificar Sedgewick, prevenindo contra supostos ataques que pudessem ocorrer. O que o Tenente não sabia era que ele se instalou em uma área próxima de um território dos Comanches, índios que viviam em paz e harmonia com a natureza, e que esse choque com uma nova cultura e com uma nova filosofia iria mudar por completo sua visão sobre o mundo.


Assim, uma nova jornada e, até mesmo, uma nova vida aguardam pelo solitário Dunbar que via, em seu cavalo Cisco e no misterioso lobo Duas Meias, suas únicas companhias. Os comanches, inicialmente, desconfiam do Tenente, pois têm medo dos homens brancos e de todo o terror que eles foram capazes de impôr sobre os índios e suas famílias. Com o tempo, Dunbar começa a perceber a fragilidade do mundo e de seu tamanho, além de notar o real valor da vida, do companheirismo e do amor e, deste modo, vai, aos poucos, ganhando a confiança dos índios e se afastando do soldado, do herói e do americano que era em tempos passados.
A obra de Michael Blake, em todos os momentos, assume um caráter filosófico e profundo, já que retrata a transformação de um herói do exército americano - que outrora guerreava contra os próprios índios em detrimento do expansionismo norte-americano -, para um Comanche, com tradições, hábitos e pensamentos totalmente diferentes acerca da natureza, da harmonia, das emoções e do existencialismo.
Posteriormente, Dunbar acaba se deparando, já na aldeia, com uma mulher branca que foi levada para viver com os Comanches durante sua infância e que, após tanto tempo, acabou esquecendo de sua vida anterior. Por conta disso, os dois acabam se ligando e se destinando a um futuro juntos.
Dança Com Lobos é um livro excepcional, extremamente sensível e humano, que mostra como o mundo é bem maior do que aquilo que nossos olhos são capazes de enxergar. Exalta também algo tão comum na atualidade (mesmo o livro sendo antigo): o preconceito. Através disso, nos é passado como ele é capaz de atrofiar nossas cabeças e nos incapacita de ver que, às vezes, as coisas mais belas estão ao nosso lado mas, por medo, por ignorância ou por intolerância, nós as deixamos fugir.
Com uma leitura agradabilíssima, frases tocantes e uma simplicidade ímpar, Michael Blake não escreveu um roteiro para um filme, mas sim um roteiro para a vida, transformando não só a vida e o destino de um soldado americano, mas também a de um leitor que souber interpretar sua linda mensagem.
Confira o trailer do premiado filme baseado na obra de Michael Blake:

Um comentário:

  1. Bom dia. Onde você encontrou esse livro para comprar?
    Agradeço desede já por responder!

    ResponderExcluir